Por Sempre Floripa
 
  Trekking  
     
     
 
 
     
  Trekking <<
   
  A Ilha de Santa Catarina tem uma grande diversidade de caminhos e trilhas, os quais apresentam as mais diversas características. Praias, costões, lagoas, dunas, cachoeiras e morros.
   
 

A capital de Santa Catarina possui 46% de seu território definido como área de preservação permanente. Há diversos roteiros de curto a longo percurso; de caminhada simples em terrenos planos à caminhada radical com exposição à altura e uso de apoio; de orientação fácil, alguns requerem um preparo físico normal, já outros exigem um preparo físico apurado. Ao longo de seus percursos, existem ecossistemas e paisagens diversificadas, com morros, costões, planícies costeiras arenosas, dunas, restingas, manguezais, baías, enseadas, lagoas, córregos e mata típica da Floresta Atlântica, às vezes compondo áreas de preservação que abrigam inúmeras espécies vegetais e animais.

Muitos percursos cruzam ou estão localizados em diferentes áreas de preservação, como parques e reservas ecológicas; todos os caminhos e trilhas do sul da Ilha têm essa característica. Aproximadamente dois terços dos caminhos e trilhas envolvem trechos de caminhada semi-pesada, difícil e radical, geralmente com aclives acentuados que exigem esforço. O tipo de terreno mais característico é o de terra batida, inclusive argilosa, em que afloram seixos da base granítica que forma os morros.

Alguns caminhos e trilhas têm uso regular, servindo de acesso a praias, mantidos para passeios em áreas de preservação e com acesso a algumas comunidades isoladas, como as da Costa da Lagoa, dos Naufragados e do Santinho. Parte dos caminhos e  trilhas sofre um processo de desaparecimento e esquecimento. Naqueles em que o uso se tornou pouco freqüente, mesmo que tenha sido importante na história do passado da Ilha, é comum a criação de cercas, muros e construções em propriedades que impedem a passagem e camuflam os pontos de acesso, aos poucos tomados pela regeneração da vegetação ou perdidos pelo desmatamento.

Algumas sugestões a conferir:

LAGOINHA DO LESTE E LAGOA DO PERÍ

Dois parques municipais estão no percurso dos mais famosos trekkings de Floripa: o da Lagoinha do Leste e o da Lagoa do Peri, ambos no Sul da Ilha. O primeiro pode ser alcançado através de costões da vizinha praia do Matadeiro, ou a partir do Pântano do Sul, após cerca de 1h30min de trilha. A Lagoinha do Leste é uma praia cercada de morros, selvagem e tranqüila, como uma bela lagoa no seu canto esquerdo, dunas e restingas. O Parque da Lagoa do Peri constitui-se numa das áreas mais preservadas da Ilha, um bom local para observação de aves. O caminho passa pelo Sertão do Peri, Sertão do Ribeirão, antigos engenhos de farinha, alambiques e cachoeiras. É possível observar paisagens incríveis de boa parte das praias do Leste e Sul de Florianópolis e algumas lhas oceânicas.

SOLIDÃO, SAQUINHO, NAUFRAGADOS:

Também no Sul da Ilha, o percurso entre as praias da Solidão e do Saquinho é uma ótima opção para iniciantes. Na Solidão, início da trilha, além do banho de mar vale subir o morro até uma pequena cachoeira. Caminhando cerca de 1h por trilha cimentada, chega-se à pequena comunidade do Saquinho, sem acesso por estrada, localizada numa pequena praia rodeada por morros que chegam perto do mar. A paisagem do caminho, que segue próximo ao costão, é de rara beleza. Par aos bem preparados fisicamente, ao invés de retornar pela mesma trilha, pode-se seguir mais ao sul, em direção à Caieira da Barra do Sul, passando pela Ponta do Pasto e Praia de Naufragados, num caminho que oferece vista deslumbrante. Leva-se um dia inteiro neste trajeto. A Praia de Naufragados, inserida dentro do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, também não possui acesso rodoviário e pode ser visitada por trilha que parte da Caieira, com aproximadamente 2,5 km. É possível completar o passeio voltando de barco.

COSTA DA LAGOA:

A trilha margeia a Lagoa da Conceição, com belas paisagens do espelho d´água e da Mata Atlântica, passa por uma peculiar vila que mantém os costumes dos colonizadores açorianos, e termina numa cachoeira. Ao final, do caminho, há diversos restaurantes que servem pratos típicos da culinária ilhoa, baseada em frutos do mar, todos com trapiches para embarcações. Pode-se parar, comer e pegar um barco para a volta, curtindo o visual da lagoa. Outro roteiro que envolve passeio embarcado é a Ilha do Campeche, distante 30 minutos de barco da praia da Armação, mar adentro. Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Ilha possui trilhas que conduzem os visitantes até as inscrições rupestres pré-históricas feitas há 5.000 anos.

 

   
 
 
 
 
     
Por Sempre Floripa
 

www.porsemprefloripa.com.br | info@porsemprefloripa.com.br | Todos os direitos reservados